Porque sem ele, não teríamos saído da Idade da Pedra. Com amor, respeito e opinião tudo se resolve, tudo evolui...

28
Mar 10

O sol aquece-nos enquanto caminhamos pela rua, fazem os verdes dos jardins brilhar com mais intensidade, o nosso olhar desvia-se para a palete de cores que se começa a desenhar pelos campos e parques. Ao longe uma nuvem escura aproxima-se do resplandecente sol, tapando-o por breves momentos e obrigando-nos a apertar os fechos dos casacos. Os 15 graus ainda não são suficientes para nos manterem quentes, até porque o vento ainda é fresco.

 

Atchim.

Mais um lenço se vai. E enquanto isso começam a abrir-se guarda-chuvas. A escura nuvem traz consigo chuva. Um aguaceiro cai, mas logo o sol aparece de novo e outro mundo se abre para os nossos olhos.

Tal como diamantes, brilhantes e mostrando cores imensas, as gotas de chuva que escorrem pelas folhas e ervas, transportam-nos para um mundo cheio de riqueza e vida. É a Primavera que chega e nos ilumina a alma que já precisava depois de um rigoroso Inverno que já lá vai.

 

Venha ela e nos traga aquilo que a Natureza tem de melhor. O desabrochar da vida começa como um arco-íris depois de uma chuvada.

publicado por Alvaro Faustino às 12:04
sinto-me:

Desta vez é da hora. Mais uma vez regressamos á hora de Verão, o que é muito bom, mais tempo com luz solar.

E mais uma vez pergunto, para quê andarmos mais uma vez a adiantar ou a atrasar os relógios duas vezes por ano? Arranjem lá uma maneira para ficar sempre a mesma hora.

publicado por Alvaro Faustino às 11:59
sinto-me: adiantado
tags: ,

20
Mar 10

Não foi tão dramático como á 22 anos em Lisboa, mas estas imagens fizeram-me lembrar o sucedido nessa altura, afinal não era assim tão novinho. Teria 7 anos quando isso aconteceu.

Esta sexta-feira aconteceu aqui em Rotterdam algo que me fez recordar essas imagens. O centro da cidade esteve fechado, apenas veículos de emergência tinham acesso. Cinema, complexo de apartamentos e algumas lojas e restaurantes foram afectados pelas chamas ou pelo fumo. Tirando pessoas com problemas devido ao fumo, penso não se ter de lamentar nada de mais grave.

 

Em pleno coração do centro, estas imagens são muito dramáticas para Roterdão que relembra mais uma vez as agruras de uma guerra maldita. Em Maio eu explico melhor isto.

publicado por Alvaro Faustino às 09:27

14
Mar 10

A internet tem muito lixo, spam e coisas sem nexo. Mas de vez em quando vão aparecendo relíquias que valem a pena partilhar.

 

 

publicado por Alvaro Faustino às 20:13
música: Africa

Ninguém sabe dizer o que nos reserva o futuro. Esta semana andei a pensar nisso. Que será de mim, o que estarei a fazer, como me sentirei, como serei. Será mesmo isto que quero? Não sei. Neste momento ando com algumas dúvidas em relação a isso. Por isso mesmo mentalizei-me que a escola é uma porta que se abrirá quando acabar. Outras oportunidades estarão ao alcance, pelo menos assim espero.

Também me mentalizei que não adiantará pensar muito nisso. Se faço planos para o futuro? Claro que sim, tal como a maioria de nós. Mas também me limito viver um dia de cada vez. Evidentemente que luto para alcançar os meus objectivos, mas faço-o na base de um dia de cada vez, sem querer prejudicar ninguém ou fazer inimigos.

 

Sou assim, não há nada que possa fazer. Sim poderia mudar, mas será que isso me faria sentir melhor? Até hoje tenho feito assim e tem dado resultado, será assim tão importante mudar de atitude?

 

Temos trabalho, temos casa, temos poupança, sentimo-nos cansados mas realizados. Não vale a pena mudar isso, pelo menos enquanto não se acabar a escola.

Tudo isto vem de uma conversa que me fez um clique.

Falávamos com uma pessoa através do messenger acerca das línguas que falava e de conhecimentos que tinha. Disse que falava cinco línguas e considero-me uma pessoa culta.

 

- O que andas então a fazer a colocar "barracos" (referindo-se ás estufas) abaixo? - disse essa pessoa.

 

E mesmo esta semana, um colega de trabalho me fez a mesma pergunta quando se apercebeu que falava holandês para o chefe, inglês para um colega polaco e espanhol para um colega que me tinha telefonado. Outro clique se fez.

 

Coincidência ou não, esta era a segunda vez que me faziam a mesma pergunta nesta semana.

Que se acabe a escola rapidamente para ver que portas se abrirão. O clique está dado e a pergunta lançada:

 

- Que raio ando eu a fazer a colocar estufas abaixo?

publicado por Alvaro Faustino às 12:22
sinto-me: duvidoso

07
Mar 10

 

Será desta que o vou ver ao vivo e cores e fotografa-lo? Já está anunciada e confirmada a presença em Roterdão no próximo dia 30 de Maio a presença do Queen Mary 2. Esta será a terceira vez que vem aqui. A primeira foi em 2005, mas ainda não me encontrava cá. A segunda foi em Julho de 2009, mas para meu azar estava em Portugal de férias. Esta é a terceira vez e como se costuma dizer, á terceira é de vez. E o melhor é que o dia calha no Domingo, o que faz com que desta vez, ele não possa escapar.

 

É certo que neste momento não é o maior do mundo desde 2006, sendo o terceiro maior, mas o misticismo associado ao nome e ao desenho da construção, leva-o a ser um barco especial.

Outra curiosidade que encontrei no site do Porto de Roterdão, é a já programada vinda do Kaguya que ainda está a ser construído, mas que promete por todos de boca aberta na sua passagem. Os seus números são impressionantes. Com cerca de 500 metros, 20 deques de altura, capacidade para 8400 passageiros e cerca de 4000 tripulantes, este será sem dúvida um enorme barco.

Se o Queen Mary 2 já impressiona pelo seu tamanho, sendo o terceiro maior, imagine-se quando o Kaguya estiver pronto!

 

No meio disto tudo, só falta haver dinheiro para usufruir de toda esta grandeza.

 

publicado por Alvaro Faustino às 22:46
sinto-me: na expectativa

06
Mar 10

Isto de estar num outro país, com uma língua e pronuncia que não lembra a ninguém, tem destas coisas. A minha esposa andou toda a semana é procura de um daqueles livros de palavras, do tipo sopa de letras, mas só se encontram estes de sudokus.

 

Mas o problema era saber como raio chamam a isso aqui.

O engraçado foi hoje, ao entrar numa papelaria, olho para a prateleira dos tais livros de sudokus e para além destes leio o seguinte na capa de um:

 

Woordzoeker.

 

Virei-me para ela, apontei e disse-lhe:

- Não andavas á procura disto?

Ela. - Era. Estás a ver a falta que me fazes aqui.

Eu. - Estás a ver como a escola faz bem.

 

E é mesmo, embora nunca tenhamos falado nisto nas aulas, o que é certo é que foi a associação das palavras Woord (palavra) e Zoeker (procura) que me chamaram a atenção e me levaram a descobrir que aquilo era o tal livro que ela tanto procurou durante a semana.

 

Conclusão: sou mesmo inteligente

publicado por Alvaro Faustino às 22:18

Será desta que se acaba o trabalho nesta estufa? Estou farto da comida holandesa, muito embora as saladas sejam gostosas e apetitosas. Mas este tempo frio desde manhã até á noite...

 

Bem, mas o importante é que o restante da estufa que sobreviveu á queda da neve também já veio abaixo com uma ajudinha nossa. Por isso agora nesta próxima semana é para acabar o trabalho. Aleluia.

 

 

 

 

 

publicado por Alvaro Faustino às 21:43

Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26
27

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
comentários recentes
eu preciso trabalho se houver eu arrisco,,melhor q...
Boa tardeGostaria de tentar a minha sorte por lá t...
tem trabalho para mim moro no luxembourg mas gosta...
Ola alguém me pode ajudar a ter trabalho para ai p...
Que bom para si Ana. Pena não ter reparado na data...
Eu estou na holanda .Não trabalho porque não quero...
procuro trabalho na Holanda em estufas de flores p...
Gostaria de trabalhar em estufas na Holanda poi em...
quala é a empresa?
Boas, sou estudante e procuro trabalho no verão na...
blogs SAPO