Porque sem ele, não teríamos saído da Idade da Pedra. Com amor, respeito e opinião tudo se resolve, tudo evolui...

17
Mar 11

Ontem tive uma das mais importantes experiências depois do nascimento. O primeiro pegar ao colo, o primeiro toque na pele, o primeiro sentir do calor e cheiro de ambos e a primeira soneca abraçados.

Uma vez que lhe retiraram o maior tubo (o da respiração) tornou-se mais fácil pegar nela. Uma poltrona ao lado da incubadora, o retirar de camisolas e ficar com o peito ao léu e o pegar e sentir o calor da minha filha no meu peito. Sentirmos a pele um do outro, a respiração, o bater do coração, ela agarrar-se ao cabeludo do pai com as suas pequeninas mãos é algo de inexplicável. Algo que só por quem já passou poderá compreender. Mas gostei, adorei e chorei. Sim chorei, não tenho vergonha de o dizer. Porque um verdadeiro homem também chora. E porque se trata de segurar a minha filha muito desejada e fruto deste grande amor, pela primeira vez.

publicado por Alvaro Faustino às 16:25
tags:

Ainda nem uma semana passou desde o nascimento da minha filha e já deu um grande passo na sua ainda curta vida.

Uma vez que é prematura e teve de ser retirada com alguma urgência da segurança do ventre da mãe, ela não veio preparada para a vida cá fora, por isso está na incubadora e teve de ser ligada a várias máquinas, uma delas que a ajudava a respirar.

 

Pois bem, ontem mostrou-se forte e mostrou que já não precisa dela. Já consegue faze-lo sozinha sem a ajuda. Assim ontem já conseguimos admirar o seu pequenino nariz e discutir a quem sai. Bem e ganhei eu. Pelo menos no nariz sai ao pai.

 

A mãe já está em casa e já tratamos de alugar a máquina de amamentação. Sim porque o leite materno é o melhor e mais indicado para ela, principalmente nestas circunstâncias, que precisa de todas as defesas no seu pequenino corpo.

 

Em relação a mim lá tive de aprender a fazer o comer, já que com a mulher internada eu tinha de me alimentar. Sempre a ajudei naquilo que podia e sabia, mas em relação a fazer as refeições nunca aprendi. Lá o tive que fazer pela primeira vez e não é para me gabar, mas saiu muito bem. Muito bem mesmo. Tudo graças á minha filha que mesmo sendo pequenina, já obrigou o pai a aprender. E ainda mais coisas me irá obrigar a aprender.

publicado por Alvaro Faustino às 16:11

14
Mar 11

Emoções: medo, surpresa, receio, alegria, preocupação, felicidade. Não saber o que pensar, estar de mãos atadas sem saber o que fazer, o que dizer, para onde ir. Todas estas e mais algumas que não consigo adjectivar passam pela cabeça, pela pele, pelos olhos e boca de um homem no momento de ser PAI.

 

A Lisa está cá fora. Cedo demais (ainda faltava mês e meio) sem querer, mas assim teve de ser para segurança das duas. Filha e mãe estão bem, em recuperação e por causa disso, todas as emoções descritas e mais algumas continuam presentes.

 

Mas no final a alegria, felicidade e muita baba vencem e revelam o meu estado de espírito.

publicado por Alvaro Faustino às 16:17

Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
15
16
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
comentários recentes
eu preciso trabalho se houver eu arrisco,,melhor q...
Boa tardeGostaria de tentar a minha sorte por lá t...
tem trabalho para mim moro no luxembourg mas gosta...
Ola alguém me pode ajudar a ter trabalho para ai p...
Que bom para si Ana. Pena não ter reparado na data...
Eu estou na holanda .Não trabalho porque não quero...
procuro trabalho na Holanda em estufas de flores p...
Gostaria de trabalhar em estufas na Holanda poi em...
quala é a empresa?
Boas, sou estudante e procuro trabalho no verão na...
blogs SAPO