Porque sem ele, não teríamos saído da Idade da Pedra. Com amor, respeito e opinião tudo se resolve, tudo evolui...

13
Abr 10

Estava a ver que era desta que ia ter de pagar IRS aqui. Também aqui o défice é um pouco alto, nada comparado ao nosso português, mas mesmo assim cortaram muita coisa. Este ano o retorno é pequenino e não adianta nada dar-lhe Danoninhos.

A crise acabou, dizem eles. Acabou para eles, para nós continua por mais um tempo até eles, os causadores, terem recuperado o que perderam.

 

Não adianta estar em Portugal, na Holanda ou noutro qualquer país. Quando o tema de conversa é dinheiro, todos são iguais.

publicado por Alvaro Faustino às 22:02
tags: , ,

17
Out 09

É incerto, sem dúvida, mas também é previsível, conforme as atitudes que vamos tendo e percebendo dos outros. A soma disto tudo, leva-me a ter a sensação que o próximo ano será um tanto diferente e muito, muito incerto.

 

Portugal é o que se sabe com as últimas eleições e seu resultado. Um governo que não prima pelo diálogo e em minoria no parlamento. A oposição também é o que se sabe, faz aquilo que é mais fácil. Ser contra as medidas do partido no poder. Até poderá ser a medida mais correcta e justa, mas são contra por serem oposição.

 

Holanda está a ser "invadida" pelos novos países da União. As empresas estão com a confiança em baixo. Cada vez é mais difícil estar com um trabalho certo. E quem o perde, tem de concorrer com estes novos países que aceitam mais por menos. O governo está a começar a tomar medidas para combater a "invasão" destes países, tornando mais difícil a vida de quem já aqui estava.

 

A coisa boa que tenho a meu favor é a já legalização consumada á já algum tempo, mas neste momento estou preocupado com a chegada do final do meu contrato. três anos estão a acabar e vejo que a empresa não está a passar ninguém para os quadros. É difícil encontrar um bom trabalho, pago conforme o justo.

 

Sei também que noutros países europeus as coisas também não estão fáceis, pelo que tenho lido noutros blogues de emigrantes que tenho encontrado. É uma crise que já está a acabar, mas como disse um economista, só a iremos sentir socialmente depois dela passar, num momento que ninguém esperará, uma vez que será numa altura em que a economia estará a crescer.

 

É lutar pela vida, porque voltar ainda está fora de questão. Tracei um plano de vida neste lugar, quero cingir-me a ele o mais possível, porque o futuro no meu país, infelizmente, é mais incerto.

publicado por Alvaro Faustino às 22:23

08
Mar 09

 

Escrevo estas linhas para todos aqueles que procuram trabalho por estes lados. pelo que tenho visto pela aplicação do Live Traffic Feed, existe muita gente em Portugal á procura de trabalho por estes lados.

 

Bem, podem deixar de procurar, porque isto aqui também está mal. Muita gente em casa sem trabalho em todos os sectores, seja na construção civil ou naval, nas fábricas de embalamento, demolições e principalmente nas estufas.

 

O frio ainda perdura e as plantas não desenvolvem e por isso não necessitam de trabalhadores temporários.

 

Cada vez mais se torna difícil encontrar colocação aqui, principalmente para os portugueses. Desde que a Polónia entrou para a UE, que isto tem sido uma invasão de polacos e mesmo assim, não para todos.

 

Tenho pena de vos informar destas noticias, porque sei que as coisas em Portugal não vão bem e cada vez mais pessoas, principalmente jovens, procuram no exterior uma forma de seguir com a vida. Mas a crise instalou-se em todo o lado.

 

A época de ouro dos portugueses na Holanda acabou no inicio de 2008. Houve muitos que tiveram a faca e o queijo nas mão e deixaram os ratos levar tudo. Muitos com bons trabalhos e colocaram a carroça á frente dos bois. Agora fomos postos de parte, porque  com os polacos, pagam menos que aos portugueses e estes não se queixam das condições de habitação (são capazes de viver 6/7 dentro da mesma casa) ou se trabalham muitas horas ou poucas. Embora dêem mais problemas que os portugueses devido ao álcool, a mina da Polónia é rica e, embora possam ir embora 100, retornam 200 para aqui.

 

Por isso e outras razões, a todos os que procuram trabalho na Holanda, para já isso não é possível, ou quanto muito, difícil de concretizar.

 

 

Adenda 3 Fevereiro 2011. A todos que visitam este artigo e desejam obter mais informações sobre o trabalho e a vida na Holanda, aconselho a visitarem o blog Portugueses na Holanda em www.portuguesesnaholanda.blogs.sapo.pt

Um blog criado para emigrantes portugueses na Holanda ou com intenções de emigrarem, em que podem participar para ajudar e serem ajudados. 

publicado por Alvaro Faustino às 17:43

20
Fev 09

 

 

Não só em Portugal se fala de crise financeira. Também aqui na Holanda se receia um pouco esta crise que se abateu no Mundo e na nossa Europa. Estas são as piores previsões para este ano. O que nos vale é que esta economia é mais dinâmica e ajusta-se mais rapidamente ás novas realidades.

 

A economia holandesa deve encolher 3,5% este ano. Esta é a previsão divulgada pelo Centraal Planbureau (CPB - Escritório Central de Planejamento). Uma recessão assim não ocorria na Holanda desde a crise econômica nos anos 30 do século passado.

As cifras são piores do que se previa. Há dois meses o CPB contava com um encolhimento da economia de 0,75%, mas a crise econômica e a recessão bateram mais forte do que se esperava. Para o próximo ano o CPB prevê um encolhimento de 0,15%, enquanto a previsão anterior era de crescimento da economia em 2010.


Os analistas ainda acreditam que o desemprego chegará este ano a 425 mil pessoas e no ano que vem a 675 mil - números bastante significativos num país que tem dezessete milhões de habitantes, dos quais cerca de oito milhões na ativa - respectivamente, 5,5% e 8,75% dos trabalhadores.

 

O primeiro ministro Jan Peter Balkenende, que estará em visita oficial ao Brasil no início de março, comentou que o desemprego é a previsão mais ‘dolorosa' no relatório do Centraal Planbureau. Ele disse que haverá o máximo possível de incentivos para ajudar na capacitação destes trabalhadores para recolocá-los no mercado de trabalho.

"Todos têm que colaborar. Achar que o governo pode resolver sozinho o problema é uma ilusão", afirma o premier, que acredita que apenas medidas de curto prazo não serão suficientes e que a própria estrutura econômica tem que ser reforçada.

O Centraal Planbureau ainda previu um corte de 3% no orçamento este ano e de 5,5% em 2010.

Já o poder de compra do holandês ainda se mantém, em média, bom. Ele deve aumentar este ano em 2,25% e permanecer o mesmo no ano que vem.

 

Conclusões do Centraal Planbureau:

- A economia holandesa encolhe este ano 3,5%

- O desemprego chega este ano a 425 mil (5,5%)

- No ano que vem, o desemprego chega a 675 mil (8,75%)

- O orçamento do governo diminui 3%

- No ano que vem, o orçamento diminui 5,5%

- O poder de compra médio aumenta em 2,5%

- Em 2010, o poder de compra permanece igual a 2009

 

In: http://www.parceria.nl/Holanda/

publicado por Alvaro Faustino às 21:27
sinto-me: atento

Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
comentários recentes
eu preciso trabalho se houver eu arrisco,,melhor q...
Boa tardeGostaria de tentar a minha sorte por lá t...
tem trabalho para mim moro no luxembourg mas gosta...
Ola alguém me pode ajudar a ter trabalho para ai p...
Que bom para si Ana. Pena não ter reparado na data...
Eu estou na holanda .Não trabalho porque não quero...
procuro trabalho na Holanda em estufas de flores p...
Gostaria de trabalhar em estufas na Holanda poi em...
quala é a empresa?
Boas, sou estudante e procuro trabalho no verão na...
blogs SAPO