Porque sem ele, não teríamos saído da Idade da Pedra. Com amor, respeito e opinião tudo se resolve, tudo evolui...

28
Mar 06

Devo dar os parabéns ao programa Fátima da SIC e em especial ao jornalista Hernani de Carvalho, por revelarem o verdadeiro estado da segurança social. É uma vergonha haver conhecimento de uma pessoa a viver literalmente, desculpem a expressão, na merda. Sim, a viver no meio das suas própias fezes, quase nu, com uma deficiência mental, numa casa a apodrecer, com pais idosos onde o pai maltrata-os e, simplesmente a Segurança Social de Braga, fechar os olhos.

Teve de ser mostrado na TV por duas vezes, para que uma instituição de Aveiro ir recolher a pessoa para lhe dar uma vida digna. Mas teve de ser de Aveiro, porque em Braga, supostamente ninguém o queria receber.

Assim, mais vale acabar com a Segurança Social, porque pelo vistos só estão a gastar dinheiro do "défice" e o povo é que paga.

E isto leva-me a contar uma coisa que ouvi ontem, no Levanta-te e Ri, contado pelo Fernando Rocha, mas que, provavelmente, conta a verdade do país:

Um angolano vem para Portugal, para tentar que sua vida melhore. Ao chegar ao aeroporto, dirige-se a uma pessoa.

- Eu angolano, tar muito feliz por portuga dar a mim oportunidade de ter vida melhor.

Responde a pessoa:

- Eu não sel poltuguês, sel chinês, quel complal relógio balato.

Não comprando o relógio, vê outra pessoa e dirige-se a ela:

- Eu angolano, tar muito feliz por portuga dar a mim oportunidade de ter vida melhor.

Responde a pessoa:

- Eu não ser português, ser indiano casado com uma mulher que tem pinta na testa, querer comprar flô.

Admirado por não encontrar um português, dirigiu-se desta vez a uma mulher que passava:

- Eu angolano, tar muito feliz por portuga dar a mim oportunidade de ter vida melhor.

Responde a mulher:

- Oi cara, tudo bom. Olha, eu não sou portuguesa, sou brasileira, mas se queiseres afogar o ganso, são 50 euros né.

- Mau. Não há portuga cá?

Dirige-se para o exterior do aeroporto e vê um homem aninhado na calçada e diz-lhe:

- Eu angolano, tar muito feliz por portuga dar a mim oportunidade de ter vida melhor, brigado mesmo.

Mas:

- Eu não ser portuga. Ser da ucraina e tar travalhar.

- Porra, aonde tão os portugas meu?

- Quando vir fila grande para pedir rendimento minimo e fundo desemprego, são portugas.

 

Em vez de se motivar a trabalhar, motiva-se a não fazer nada, é a vida do "deixa estar".

publicado por Alvaro Faustino às 12:25

Então a Judiciária também quer ter uma força especial de intervenção, pois bem, podem começar a investigar um caso dado no telejornal do passado fim de semana: um telemóvel explodiu enquanto carregava a bateria. Um telemóvel?

Agora vão começar a dizer que, para além das antenas transmitirem radiações perigosas, também têm o risco de explodir.

Mas é ver miúdos de 12/14 anos a exibirem suas máquinas topo de gama aos colegas.

 

publicado por Alvaro Faustino às 12:14

AAAAAAAIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII, como tou sem um cigarrinho. Vou fumar só um. NÃO, não posso. AIIIIIIIIIII.
publicado por Alvaro Faustino às 00:13
sinto-me:

Março 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12
13
17

19
21
23
24
25

26
27
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
comentários recentes
Ola preciso de trabalho para a mulher se souberem ...
eu preciso trabalho se houver eu arrisco,,melhor q...
Boa tardeGostaria de tentar a minha sorte por lá t...
tem trabalho para mim moro no luxembourg mas gosta...
Ola alguém me pode ajudar a ter trabalho para ai p...
Que bom para si Ana. Pena não ter reparado na data...
Eu estou na holanda .Não trabalho porque não quero...
procuro trabalho na Holanda em estufas de flores p...
Gostaria de trabalhar em estufas na Holanda poi em...
quala é a empresa?
blogs SAPO